Curandeira, uma mulher sagrada!

0
8

A CURANDEIRA..

Uma curandeira precisa saber caminhar descalça, dançar batendo os pés no chão, levantar poeira e se perfumar de terra.
Uma curandeira precisa saber mergulhar na chuva, tomar banho de rio e se purificar nas águas do mar.

Uma curandeira precisa ouvir o vento, sentir no cheiro da brisa que passa, quem vem e quem está a partir.

Uma curandeira sabe o tempo das coisas, de nascer e morrer, de chegada e partida. Ela não adoece, porque sabe dos ciclos da vida e que nesse ciclo, inclui-se a morte.

Uma curandeira canta suas dores, trança suas tristezas, banha em ervas a inveja e o mal olhado, ilumina o rezo na vela acesa no altar, sopra as bênçãos ao vento pois ele sabe onde tem de levar…
Uma curandeira ouve a mãe terra nas solas dos pés e “pressente” a chuva, a visita, o perigo.

Uma curandeira sabe-se protegida, caminha acompanhada e conversa com seus protetores sem duvidar do que “ouve”.
Uma curandeira tem fogo aceso, chá e café pras visitas. Ouvidos atentos, pois nas palavras não ditas, se esconde a semente do mal.

Uma curandeira observa a tudo em silêncio, aquieta a voz e cala as palavras, para não se meter em cumbuca apertada, feito macaco curioso.

Uma curandeira bate as folhas para deixar no chão o que é do chão e sopra a fumaça do tabaco pra levar pro ar o que é do ar.
Uma curandeira usa flores como medicina, nas águas que esparge nos corpos sutis.

Uma curandeira tem olhar tranqüilo, pois não briga mais com o inevitável. Entrega, confia, aceita e agradece. Tudo faz parte do aprendizado.

Uma curandeira conhece as fases e as usa em benefício de seu crescimento.

Uma curandeira cria sua própria caminhada.

Uma curandeira sabe que os degraus da estrada a leva pro alto, então simplesmente segue, sem reclamar da subida.

Uma curandeira carrega seus filhos junto ao peito, pois sabe que a cria precisa se manter aquecido e protegido, como estava em seu ventre.

Uma curandeira tem mãos suaves, com elas acaricia e abençoa.
Uma curandeira tem abraço de sol, seu coração ilumina outros corações, mas, uma curandeira é justa e muitas vezes usa palavras mais duras para trazer a realidade os que andam perdidos e buscam seu auxilio.

Uma curandeira, ainda que solitária, sabe ser parte de uma teia e zela com amor os pontos que tece.

Uma curandeira não prende, liberta. Ensina a voar, para que outras curandeiras possam despertar !

Seja curandeira, curadora, libertadora!

https://www.facebook.com/ceulagravatai/

Artigo anteriorComo reconhecer uma Bruxinha?
Próximo artigoReconhecendo as filhas de Iemanjá
Aline Ferrão é Espiritualista sacerdote de Umbanda, dirigente do C.E.U Luzes de Aruanda em Gravataí/RS iniciada na cultura de Matriz Africana a qual representa como Yalorixá respeitando as práticas Ancestrais através dos Orixás. Domina a leitura de oráculos como Búzios e Baralho Cigano, direcionando as terapêuticas com o auxílio destas ferramentas. Conhecedora das Ervas e sua utilização no bem-estar de cada ser, assim como estudou e pratica as Técnicas de Reiki Usui, Reiki Xamânico juntamente com Apometria Cristica e Floral de Bach. Facilitadora nas terapias envolvendo a cura da Alma, com a utilização da Medicina Sagrada Ayahuasca. Médium ativa desde a infância, tem como propósito direcionar o seu trabalho dentro da espiritualidade expandindo seu conhecimento para o acolhimento de quem sentir o chamado espiritual. Em sua formação social é graduada em Pedagogia, tendo como sua área de interesse o desenvolvimento Humano.