Preto Velho, quem são estas entidades?

0
79

Antes de começar a falar sobre esta linha, a dos Pretos Velhos, gostaria apenas de dizer que nem todo Preto Velho é preto ou velho.

Isto porque esta linha de trabalho atrai muitas pessoas para trabalhar do plano espiritual, o que quer dizer que a entidade que está ali encurvada e falando “ estranho”, pode ter sido um doutor, loiro e alto.

Na verdade, existem poucos negros que foram escravos nessa linha de trabalho, posso dizer que estes são raros.

A maioria dos espíritos atua nesta linha por afinidade, e não porque são Pretos, Velhos ou foram escravos.

Uma das linhas mais antigas e carismáticas na Umbanda, parecem muito com os nossos avós, sempre prontos para nos aconselhar e nos ajudar em nossas caminhadas.

Características da linha dos Pretos Velhos

Sua incorporação acontece de forma lenta, seus passos são lentos e andam encurvados, aparentando ter muitos e muitos anos, ou muita dor nas costas.

Fumam cachimbos ou cigarros de palha, bebem café sem açúcar em algumas casas, usam as ervas para benzer enquanto falam com seus consulentes.

Donos de grande sabedoria, paciência e humildade.

Conhecedor profundo das ervas que curam, utiliza em seus passes e consultas, ervas como arruda e alecrim, sempre em um copo com água para fazer o benzimento, e indicam banhos específicos para cada problema.

Promovem a cura, mas a cura da alma, que por sua vez irá curar o corpo físico, são ótimos conselheiros e sempre tem um bom conselho para nos dar.

Suas palavras estão sempre envolvidas em sabedoria e calma, o que faz com o consulente entenda a situação e momento, e aguarde pelo momento certo.

Nem sempre aquele é o momento de se resolver alguma coisa, às vezes é preciso esperar, e esta linha conhece bem este sentimento, o de resignação.

Linha dos Pretos Velhos

Conhecida como linha das Almas, atuam no cemitério, mais especificamente nos cruzeiros dos cemitérios, responde ao nosso Pai Obaluaiê ou Omulu, mas dependendo de onde ele veio, responde também a um outro Orixá.

Nesta linha iremos encontrar, Vós e Vôs, como chamamos carinhosamente os nossos Pretos Velhos, que apesar de responder diretamente ao Orixá Obaluaiê, eles trabalham também na energia dos outros Orixás.

Alguns exemplos:

Sempre que no nome do Preto Velho tiver uma extensão, e terá, ele serve a um outro Orixá.

  • Aruanda, está ligado a Pai Oxalá, então Pai Joaquim de Aruanda por exemplo, está ligado diretamente a Oxalá.
  • A mesma coisa acontece com Mata, sempre será um Preto Velho que está ligado diretamente a Pai Oxóssi, exemplo: Pai Antonio da Mata.
  • Almas está ligado ao Orixá Obaluaiê, exemplo: Pai Joaquim das Almas.
  • A palavra Congo está ligada a Iansã, exemplo: Pai Joaquim do Congo.
  • D’Angola está ligado ao Pai Ogum, exemplo: Pai Francisco D’Angola.

Mas encontraremos muitos outros nomes, de Preto e Preta Velha dentro da Umbanda.

Datas e Cores

  • Segunda feira, dia de maior regência, mas pode-se acender uma vela para eles em qualquer outro dia da semana.
  • Dia de comemoração: 13 de maio, para associar a abolição da escravidão
  • Cores: preto e branco, tanto em guias (colares), como vestimentas, e velas (metade branca e metade preto), ou apenas branca.

Oferendas

Oferendas só devem ser feitas se forem solicitadas pelas entidades, não faça uma oferenda por fazer, ela não terá nenhum significado.

Se precisar de ajuda e não puder ir até um terreiro de Umbanda, acenda uma vela se tiver algum altar em casa ou então na natureza e faça seu pedido, com toda certeza você será atendido.

No que se refere a oferendas o local de entrega, assim como o que será pedido, vai depender da necessidade do consulente e da origem da entidade, no caso aqui Preto Velho, que pode pedir para entregar no cruzeiro do cemitério, por exemplo, ou em uma estrada ou mata.

Vai depender tanto da necessidade do consulente, como do Orixá a quem ele responde.

Por isto que uma oferenda não pode ser feita sem a solicitação e orientação de uma entidade.

Ponto de Preto Velho

Existem vários pontos de Preto Velho, mas vou colocar aqui apenas um, e é claro não é de minha autoria.

Ele é dono de terreiro

Já firmou congá

Saravá meu Pai Antônio

Saravá seu Jacutá.”

Saudação aos Pretos Velhos

Adorei as Almas, estas palavras são ditas enquanto o médium, junta as mãos viradas para baixo e reverência com a cabeça.

Uma outra forma é dizer: Adorei as almas, e se curvar com as mãos juntas viradas para baixo e na altura dos joelhos.

Cada casa fará à sua maneira.

Conclusão

A linha dos Pretos Velhos, é a linha mais antiga na Umbanda e a mais carismática, pois tratam os consulentes como pessoas que precisam de ajuda e que não tem o dever de conhecer tudo.

Com paciência e jeitinho, eles, os Pretos Velhos, vão conduzindo as pessoas para o melhor caminho, sem impor nada, apenas com conselhos de ajuda e de reforma intima.

Mostrando que o importante é cuidar da alma, do espirito, que depois disto todo o resto vira, a cura para o mal do corpo está na cura do espirito.

Mas sabemos também, que eles não trabalham apenas para cura, trabalham para abertura de caminho, problemas financeiros, para desfazer trabalhos feitos contra o consulente.

Quem acha que esta linha só benze, está muito enganado, os Pretos Velhos têm muito poder, força e autoridade no mundo espiritual.

Trabalham muito com os Exus, e sempre que eles não podem entrar em algum lugar devido a energia, os Exus entram e desfazem o que é para ser desfeito.

Estes são os nossos velhinhos na Umbanda, nossos Pretos e Pretas Velhas, que chegam devagar, com suas ervas e seu cachimbo e fazem o seu trabalho.

Curam nossas almas e livram os nossos corpos.

Se você gostou da leitura e quer saber mais sobre esta falange, assim como fazer uma oferenda, chama gratuitamente que daremos as orientações necessárias.

https://pt-br.facebook.com/ceulagravatai/

Artigo anteriorPor quê a meditação é importante no dia-a-dia?
Próximo artigoPor que me sinto só? Como mudar esse sentimento.
Aline Ferrão é Espiritualista sacerdote de Umbanda, dirigente do C.E.U Luzes de Aruanda em Gravataí/RS iniciada na cultura de Matriz Africana a qual representa como Yalorixá respeitando as práticas Ancestrais através dos Orixás. Domina a leitura de oráculos como Búzios e Baralho Cigano, direcionando as terapêuticas com o auxílio destas ferramentas. Conhecedora das Ervas e sua utilização no bem-estar de cada ser, assim como estudou e pratica as Técnicas de Reiki Usui, Reiki Xamânico juntamente com Apometria Cristica e Floral de Bach. Facilitadora nas terapias envolvendo a cura da Alma, com a utilização da Medicina Sagrada Ayahuasca. Médium ativa desde a infância, tem como propósito direcionar o seu trabalho dentro da espiritualidade expandindo seu conhecimento para o acolhimento de quem sentir o chamado espiritual. Em sua formação social é graduada em Pedagogia, tendo como sua área de interesse o desenvolvimento Humano.